sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Permanência de Gilberto Gil é reivindicada por Artistas Negros

Artistas negros iniciam movimento "Fica, Gil"
por Vermelho
[Quinta-Feira, 29 de Novembro de 2007 às 20:24hs]

"É pena que ele está ameaçando deixar o ministério. Quer só cantar. Isso é muito bonito, mas o mais difícil é o desafio de mudar o que está aí. Fica, ministro!", pediu em seu discurso o escritor, dramaturgo e professor Abdias do Nascimento, de 90 anos. Então, a platéia toda, cerca de 150 artistas, intelectuais e militantes de movimentos negros, iniciou em coro o segundo ato do movimento ''Fica, Gil!'', pedindo em coro a permanência do ministro da Cultura em seu posto.

Gilberto Gil - que assistia na platéia à cerimônia de abertura da 4ª Mostra Internacional do Cinema Negro, na Cinemateca Brasileira, segunda-feira à noite - apenas ouvia, sorria e semicerrava os olhos. "Claro que sou sensível (ao apelo). Mas a intenção é deixar o ministério até o fim do ano que vem. A decisão pode mudar, mas minha intenção é deixar", afirmou o ministro.

Artistas como Tony Tornado, Neuza Borges, Zezé Motta, Maria Alcina, e intelectuais da USP, como o antropólogo João Batista Borges Pereira e professor doutor Celso Prudente: a nata da militância pela conscientização racial compareceu, além de autoridades, como Silvio Da-Rin, secretário do Audiovisual.

Momentaneamente, Gil deixou de ser o dono do palco para misturar-se à platéia, de onde assistiu durante quase três horas a pocket shows, discursos e até enfrentou um início de saia-justa, com o cantor Moacyr Franco. Franco apresentaria um set com algumas de suas músicas. Quando subiu ao palco, disse: "Pena que o ministro já foi embora...".

Mas Gil estava bem ali na primeira fila. "Eu não tinha visto, ministro. Eu, que Deus me perdoe, já fui deputado federal. Político vem, fala e vai embora. Você também já cometeu seus pecadinhos políticos", disse a Gil, que o contestou. Mas, sem microfone, teve de ouvir Moacyr Franco (que, nos anos 1980, foi deputado federal pelo PTB) fazer o seu número meio provocador.


Fonte: Vermelho

2 comentários:

http://iscasemvara.blogspot.com disse...

fica? pra que? nao fez nada ate agora.
ah ja sei, fica pq tem que cantar na festa de encerramento do mandanto? ah ta.

Yerko Herrera disse...

Respondo.

Ficar pra continuar o excelente trabalho que ele tem desenvolvido no Ministério da Cultura, setor tão esquecido em outras gestões, mas que ganhou visibilidade mundial pelo trabalho e pela pessoa de Gilberto Gil.

Não sou do Governo, muito menos ligado a partidos que o sustentam, tampouco fui nem estou sendo beneficiado por lei alguma de fomento à cultura. No entanto sei das mudanças que Gil tem propiciado frente ao MinC. Sei da coragem que tem tido ao incentivar a Cultura Livre, o Creative Commons e todas as manifestações favoráveis à democratização cultural. Não é qualquer um que tem esse empenho em querer mudar as entravas que envolvem nossa retrograda lei do direito autoral.

Pois, meu caro, digo mais: Ficar pra continuar enfrentando os coronéis que monopolizaram a cultura em nosso país. Ficar pra confrontar os latifundiários culturais que querem continuar vivendo as custas dos benefícios que sempre ganharam e que fazem questão que isso nunca seja democratizado.

Quem não lembra da Ancinav e todo o lobby que os barões do cinema e da TV fizeram pra derrubar as mudanças radicais e necessárias que a Agência propunha.

É pra isso que tem que Ficar! Fica, Gil!

Yerko Herrera.