quarta-feira, 4 de julho de 2007

Quero dançar com outro par pra variar, amor

Letras Los Hermanos

AZEDUME (Marcelo Camelo)

Tire esse azedume do meu peito
E com respeito trate minha dor
Se hoje sem você eu sofro tanto
Tens no meu pranto a certeza de um amor,
Sei que um dia a rosa da amargura
Fenecerá em razão de um sorriso teu
Então a usura que um dia sufocou minha alegria há de ser o que morreu
Então a usura que um dia sufocou minha alegria há de ser o que morreu

Dai-me outro viés de ilusão
Pois minha paixão tu não compras mais com teu olhar
Leva esse sorriso falso embora
Ou fale agora que entendes meu penar
A lágrima que escorre do meu peito
É de direito pois eu sei que tens um outro alguém
Mas peço pra que um dia se pensares em trazer-me seus olhares
Faça por que te convém
Peço pra que um dia se pensares em trazer-me seus olhares
Faça por que te convém


TENHA DÓ (Marcelo Camelo)

Não vou mais te perdoar, você foi longe demais
Meu amor não sou tão só assim.
Não consigo entender, me trocar por outro alguém
Traição já é demais então, você me diz

Que me ama,
Que sem mim você não vive,
Que foi apenas um deslize,
Que você preza pelo meu amor

Tenha dó,
Não mereces o afago,
Nem de Deus nem do Diabo,
Quanto mais da mão que um dia eu dei pra ti

A saudade vai bater, mas o meu amor se vai
O tempo voa e quando vê já foi

Não me fale de nós dois, não preciso mais saber
Indo embora deixo-te um adeus, ao ouvir dizer

Que me ama,
Que sem mim você não vive,
Que foi apenas um deslize,
Que você preza pelo meu amor

Tenha dó,
Não mereces o afago,
Nem de Deus nem do Diabo,
Quanto mais da mão que um dia eu dei pra t


TODO CARNAVAL TEM SEU FIM (Marcelo Camelo)

Todo dia um ninguém josé acorda já deitado
Todo dia ainda de pé o zé dorme acordado
Todo dia o dia não quer raiar o sol do dia
Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado
Mas o dia insiste em nascer
Mas o dia insiste em nascer
Pra ver deitar o novo...

Toda rosa é rosa por que assim ela é chamada
Toda Bossa é nova e você não liga se é usada
Todo o carnaval tem seu fim
Todo o carnaval tem seu fim
É o fim, é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco
Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem acorda já deitado
Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul
Pra que mudar?

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz


A OUTRA (Marcelo Camelo)

Paz, eu quero paz
Já me cansei de ser
a última a saber de ti
Se todo mundo sabe
quem te faz chegar mais tarde
eu já cansei de imaginar
você com ela
Diz pra mim se vale à pena, amor
A gente ria tanto
desses nossos desencontros
mas você passou do ponto
e agora eu já não sei mais ...

Eu quero paz
Quero dançar com outro par
pra variar, amor
Não dá mais pra fingir
que ainda não vi
as cicatrizes que ela fez
Se desta vez ela é senhora deste amor
pois vá embora, por favor
que não demora pra essa dor
sangrar


O VENTO (Rodrigo Amarante)

posso ouvir o vento passar
assistir à onda bater
mas o estrago que faz
a vida é curta pra ver
eu pensei que quando eu morrer
vou acordar para o tempo
e para o tempo parar.
um século, um mês
três vidas e mais
um passo
pra trás?
por que
será?
...
vou pensar.

como pode alguém sonhar
o que é impossível saber
não te dizer o que eu penso
já é pensar em dizer
e isso, eu vi, o vento leva!
não sei mas sinto que é como sonhar
que o esforço pra lembrar
é a vontade de esquecer
e isso por quê?
(diz mais)
ú
se a gente já não sabe mais
rir um do outro, meu bem
então o que resta é chorar
e talvez
se tem que durar
vem renascido o amor
bento de lágrimas.
um século, três,
se as vidas atrás são parte de nós
e como será?
o vento vai dizer lento o que virá
e se chover demais a gente vai saber,
claro de um trovão,
se alguém depois sorrir em paz.
(só de encontrar...)


HORIZONTE DISTANTE (Marcelo Camelo)

por onde vou guiar o olhar que não enxerga mais
dá-me luz, ó deus do tempo
dá-me luz, ó deus do tempo
neste momento menor
pra eu saber teu redor
a gente quer ver horizonte distante
a gente quer ver horizonte distante

aprumar

através eu vi, só amor é luz
e há de estar daqui até alto e amanhã
quem fica com o tempo
eu faço dele meu e não me falta ao passo coração
e não me falta ao passo coração

avante

a gente quer ver horizonte distante
a gente quer ver horizonte distante

aprumar


CONDICIONAL (Rodrigo Amarante)

quis nunca te perder
tanto que demais
via em tudo céu
quis de tudo o cais
dei-te pra ancorar
doces deletérios
e
quis ter os pés no chão
tanto eu abri mão
que hoje eu entendi
sonho não se dá
é botão de flor
o sabor de fel é de cortar.

eu sei, é um doce te amar
o amargo é querer-t pra mim.
do que eu preciso é lembrar, me ver
antes de te ter e de ser teu
muito bem...

quis nunca te ganhar
tanto que forjei asas nos teus pés
ondas pra levar
deixo desvendar
todos os mistérios.
sei, tanto te soltei
que você me quis em todo lugar
lia em cada olhar quanta intenção
eu vivia preso!

eu sei, é um doce te amar
o amargo é querer-t pra mim.
do que eu preciso é lembrar,
me ver antes de te ter e de ser teu
o que eu fazia, o que eu queria,
o que mais, que alguma coisa
a gente tem que amar, mas o quê?
não sei mais!
os dias que eu me vejo só são
dias que eu me encontro mais
e mesmo assim eu sei tão bem:
existe alguém pra me libertar!


DESCOBERTA (Marcelo Camelo)

Sai, que eu já não te quero mais
Sai por que hoje eu descobri
Que posso viver sem ti
Que posso viver em paz,

Muito bem sem teu amor
Sai por que agora eu sou
Um homem bem mais feliz
Um homem bem mais feliz

Vai, hoje a lagrima não cai
Sei agora o mal que faz
Dar amor a quem não ama,
Dar amor a quem só traz

Ódio e desilusão
Que maltrata um coração
Precisando de carinho
Precisando de carinho

Minha amada
Não consigo mais viver ao lado teu
Não consigo mais te dar o meu amor
Hoje vivo muito bem sem tua boca
E sozinho não conheço mais a dor



Canções:
"Azedume", "Tenha Dó" e "Descoberta", do disco Los Hermanos (Abril Music, 1999)
"Todo o Carnaval tem seu Fim", do disco O Bloco do Eu Sozinho (Abril Music, 2001)
"A Outra", do disco Ventura (BMG, 2003)
"O Vento", "Horizonte Distante" e "Condicinal", do disco 4 (Sony BMG, 2005)

Fonte: Saite Oficial Los Hermanos

Um comentário:

Jú disse...

"Todo carnaval tem seu fim" é uma das minhas preferidas...
"... deixa eu brincar de ser feliz..."
Aliás, do Los Hermanos quase todas são preferidas, eheh;;;

bjs